A Kaspersky apresentou recentemente os seus últimos dados e desenvolvimentos em região ibérica na sua Conferência anual para os parceiros ibéricos. No decorrer da conferência, foram analisadas as principais ciberameaças para as empresas e os melhores parceiros de 2023 foram premiados.

Num cenário digital, em que as ciberameaças estão a evoluir e a aumentar de complexidade, as empresas estão cada vez mais conscientes da importância de proteger as suas informações e infraestruturas com um parceiro de cibersegurança de confiança. É o que comprovam os dados da Kaspersky, que já conta com 4.965 clientes B2B e 1.130 parceiros em Portugal e Espanha, além de ter aumentado as vendas em 11% em 2023. Não só isso, mas durante o primeiro trimestre de 2024 as vendas aumentaram 13% em comparação com 2023.

Os dados foram apresentados por Óscar Suela, o novo diretor-geral de Kaspersky Ibéria, durante a Conferência anual de parceiros da região ibérica realizada em Segóvia, em Espanha. O evento também contou com a presença de Alfonso Ramirez, Diretor Geral da Kaspersky na Europa. Além disso, o CEO da empresa, Eugene Kaspersky, quis estar presente através de um vídeo gravado especialmente para a ocasião, no qual destacou o papel fundamental que a ciberimunidade já desempenha e continuará a desempenhar nos próximos anos para manter o ambiente digital seguro.

Os cibercriminosos estão a tornar-se cada vez mais criativos, com um maior número de ataques, que por sua vez estão a tornar-se cada vez mais complexos”, explicou Óscar Suela, que mencionou o vasto portefólio de soluções da Kaspersky e os mais de 20 anos de experiência no desenvolvimento de tecnologias de ponta para manter os utilizadores finais e as empresas protegidos.

A Kaspersky alcançou um crescimento anual de 36% em Portugal e Espanha através dos seus parceiros em 2023. Isto foi explicado por José Antonio Morcillo, responsável pelo Canal na Península Ibérica, que referiu que uma das prioridades do canal para 2024 é aumentar a rentabilidade e as margens. Também destacou a facilidade de fazer negócios, com um portal de parceiros conveniente, uma lista de preços clara e operações simples. Por último, sublinhou a importância de oferecer o melhor apoio, incluindo o apoio aos parceiros nas suas relações com os clientes.

Adicionalmente, abordou a diretiva europeia – NIS2 – que visa garantir a resiliência, assegurar a preparação para as ameaças à cibersegurança e promover a cooperação entre os Estados-Membros para enfrentar os desafios da segurança digital na era atual. Esta diretiva aplica-se tanto às pequenas empresas como às grandes organizações e estabelece a obrigação de comunicar qualquer incidente que tenha um impacto significativo no serviço. Por conseguinte, é essencial dispor de soluções de cibersegurança para detetar e comunicar estes ciberincidentes, uma vez que o incumprimento pode resultar em sanções de 7 a 10 milhões de euros, consoante a empresa.

O suporte é outro pilar fundamental do canal. A este respeito, César Gil, Responsável pelo Suporte para de Portugal, Espanha e Itália, destacou que 95% dos casos são resolvidos pela equipa de suporte da Kaspersky em menos de uma semana. Só em 2023, trataram mais de 4.000 consultas, que, desde a pandemia, os clientes preferem resolver remotamente (98% dos casos), embora a empresa também ofereça um serviço presencial.

E-mails, USB e redes sociais, entre as principais ameaças às empresas

No que diz respeito às principais ciberameaças dirigidas às empresas, Marc Rivero, investigador principal de segurança da Kaspersky, alertou para o facto de grupos como o Lazarus utilizarem as redes sociais para enviar às organizações portefólios ou propostas de produtos que permitirem descarregar malware. Revelou, ainda, que cada vez mais cibercriminosos deixam pen drives “esquecidas” em diferentes locais públicos para que as vítimas as encontrem e as liguem a um dispositivo para descobrirem o seu conteúdo. Quando o fazem, o dispositivo é infetado. Os kits de exploração que obtêm informações sobre o país do utilizador, o tipo de software e o dispositivo para infetar também estão entre as principais ameaças. Apesar de todas estas técnicas, o e-mail continua a ser um dos principais acessos utilizados pelos cibercriminosos.

No total, a Kaspersky detetou em 2023:

  • Mais de 420 milhões de ataques online
  • 106 milhões de URLs maliciosos
  • 34 milhões de malware, riskware e adware para telemóveis
  • 325 000 trojans bancários
  • Mais de 194.000 ataques de ransomware
  • 1 milhão de ataques de cripto mineração

Para mais informações sobre o programa de parceiros da Kaspersky, consulte este link.

Classifique este item
(0 votos)
Ler 288 vezes
Tagged em
Top